Fuleren C60 – uma maravilhosa molécula de carbono com propriedades extraordinárias

Mais informações O C60 é um composto de carbono invulgar. Efeito estelar surpreendente experimentação

O início da descoberta foi dado pelo cientista inglês Harold Kroto, que, ao estudar estrelas extintas com o método espectroscópico, notou uma banda espectral única, característica dos compostos de carbono. Quase ao mesmo tempo, compostos químicos incomuns foram encontrados por cientistas chefiados por Richard Smalley da Universidade de Houston. Juntos formaram uma equipe que logo descobriu a existência de uma substância, mais tarde chamada fullerenes.

Inicialmente, a importância da descoberta foi subestimada, pois parecia que estávamos lidando com outra curiosidade científica. Com o tempo, porém, verificou-se que estas partículas, especialmente o Fuleren C60, têm uma série de aplicações práticas.

Essas variedades alotrópicas de carbono são moléculas que consistem em um número par de átomos de carbono, de 28 a 1500, formando uma estrutura em forma de gaiola vazia no interior. A molécula de fullerene mais simples consiste em 60 átomos de carbono e tem a forma de uma bola de futebol. É encontrada em meteoritos, espaços interestelares e nebulosas deixadas por estrelas extintas, e na terra em pequenas quantidades em algumas rochas e em uma cavidade de chaminé. Logo, o método de obtenção de fullerenes através de um complicado processo de combustão e separação de cultivares individuais também foi desenvolvido.

Mais informações C60 – Propriedades e aplicações em medicina

As propriedades químicas dos fulerenos são semelhantes às dos hidrocarbonetos aromáticos, mas a sua grande vantagem, especialmente no contexto da utilização médica, é o facto de serem excelentes antioxidantes. Não admira que este potencial desperte grande interesse, e a alegada capacidade de absorver e desactivar radicais livres tornou-se objecto de numerosos ensaios clínicos e experiências.

Apresentam propriedades antioxidantes excepcionais dos fulerenos, bem como a sua utilidade como portadores de medicamentos. Está a tornar-se cada vez mais arrojado desenvolver um sistema de administração de medicamentos em que uma substância terapêutica ou de diagnóstico é colocada no interior do C60 e circula livremente pelo corpo.

Os estudos com ratos confirmaram, sem margem para dúvidas, que a sobrevivência dos animais tratados com fulereno é quase duas vezes superior à dos animais do grupo de controlo com uma dieta normal. Isto deve-se provavelmente ao facto de a Fuleren C60 retardar a morte celular e ser extremamente eficaz na redução do stress oxidativo, que é uma das principais causas do envelhecimento.

A eficácia do C60 na remoção dos radicais livres resulta do facto de a molécula ter uma estrutura grande e estável, formada por ligações duplas de átomos de carbono, graças às quais é fácil ligar-se a outros átomos, incluindo átomos de oxigénio livre, isto é, radicais livres.

Estima-se que até 34 radicais podem juntar uma única molécula Fuleren C60. Assim, o C60, ao viajar através do corpo, absorve uma certa quantidade de átomos de oxigénio livre, restaurando o equilíbrio natural entre eles e os antioxidantes.

Com o que é o stress oxidativo e quais são as suas consequências para a saúde?

O oxigénio e os nutrientes, que são uma fonte de energia, são essenciais para a vida do organismo. Os processos de respiração e metabolismo são acompanhados pela formação de partículas muito activas como os radicais de oxigénio.

São chamados radicais livres porque são átomos de oxigênio privados de um elétron e interceptando o elétron perdido de outros átomos, de proteínas, gorduras, carboidratos, ácidos nucleicos. Isto, por sua vez, pode levar à destruição de estruturas proteicas, danos às membranas celulares e até mesmo a DNA e mutações genéticas. É graças à acção dos radicais livres que os vasos sanguíneos, a aterosclerose, o nível elevado de colesterol, a hipertensão, a diabetes, o cancro e outras doenças são destruídos.

Os radicais livres são uma parte natural do corpo e enquanto houver um equilíbrio entre eles e os antioxidantes, nada de mal acontece. O corpo humano tem um sistema de proteínas, enzimas, proteínas, microelementos que capturam átomos ativos de oxigênio – eles são chamados de antioxidantes ou antioxidantes. Além disso, os radicais livres são essenciais à vida, sobretudo porque são a base para o funcionamento do sistema imunitário.

No entanto, a falta de um equilíbrio natural entre os efeitos dos radicais de oxigênio e a capacidade biológica para removê-los ou reparar as perdas sofridas, causa estresse oxidativo, e a lista de danos causados pela invasão de espécies reativas de oxigênio é longa.

O estresse oxidativo é um dos principais fatores causadores do envelhecimento e desempenha um papel fundamental no desenvolvimento de doenças como doenças cardiovasculares, distúrbios neurológicos, alterações degenerativas, câncer, inflamação, diabetes, asma, problemas digestivos, artrite reumatóide e até mesmo cataratas. Além disso, muitos médicos acreditam que o estresse oxidativo é a causa da esclerose e da doença de Parkinson.

Como para minimizar o impacto negativo dos radicais livres?

Temos de estar cientes de que a própria presença de átomos de oxigénio reactivos é óbvia e neutra do ponto de vista da saúde, a menos que apareça em demasiados números. Entretanto, nós próprios, ao levarmos um estilo de vida inadequado, contribuímos para a sua formação em excesso, ao mesmo tempo que não fornecemos antioxidantes suficientes. Desta forma, promovemos a perturbação do equilíbrio natural e a ocorrência de stress oxidativo.

As principais causas do excesso de radicais livres são

  • fumar cigarros – as substâncias contidas na nicotina e no fumo do cigarro contêm muitos radicais livres e reduzem significativamente o nível de antioxidantes no sangue;
  • ar poluído – semelhante à queima de cigarros;
  • Stress contínuo – pode contribuir para o desenvolvimento de muitas doenças perigosas;
  • consumo excessivo de álcool;
  • banhos de sol prolongados, ou seja, exposição à radiação UV;
  • uma dieta anormal, rica em produtos transformados, desprovida de antioxidantes naturais;
  • treinamento muito extenuante – causar uma aceleração significativa do metabolismo e, consequentemente, aumento da produção de radicais livres.

A resposta a estes riscos é fornecer ao organismo uma quantidade adequada de antioxidantes, tanto através de um estilo de vida saudável como da suplementação de substâncias adequadas. Um papel muito importante é desempenhado por uma dieta adequada, rica em vitaminas C, E, beta-caroteno ou licopeno – um dos mais fortes, ao lado da vitamina C, antioxidantes.

Por conseguinte, o menu deve basear-se em frutos e produtos hortícolas frescos – cenouras, salsa verde, couves de Bruxelas, tomate, groselhas, espinafres, brócolos, amoras, melancias, cereais integrais, peixe, leite e produtos lácteos, couves, sementes e frutos secos. Chá, vinho tinto (em pequenas quantidades) e cacau também ajudam. Igualmente importante é a actividade física moderada mas sistemática, a prevenção de estimulantes, a capacidade de aliviar tensões e o repouso frequente.

Mais informações C60 – propriedades pró-saúde e importância para o organismo na o processo de luta contra os radicais livres

É sabido que a vitamina C é um poderoso antioxidante. Muitas pessoas vão se surpreender ao saber que Fuleren C60 é dito ter propriedades antioxidantes muito maiores do que Fuleren C60.

Embora não seja uma partícula totalmente pesquisada, e entre alguns pesquisadores haja algumas dúvidas se a suplementação sistemática, por exemplo, não causa uma ruptura da estrutura DNA, os inúmeros estudos clínicos realizados até o momento parecem confirmar o efeito do alívio do estresse oxidativo. Não só as experiências em animais, mas também a absorção de C60 por voluntários produziram resultados promissores. Eles encontraram melhorias significativas na saúde e bem-estar, regeneração muscular mais rápida após o exercício e até mesmo uma aparência mais jovem.

As mais interessantes são as possibilidades do fullerene em termos de inibição do processo de envelhecimento. E embora os cientistas continuem a analisar essa molécula de carbono em termos de seu potencial pró-saúde, sua descoberta e potencial é um avanço para a medicina e, consequentemente, para nossa saúde e vida mais longa. Mesmo que leve muito tempo para que o C60 seja totalmente validado e o produto entre no mercado, vale a pena esperar com a perspectiva de envelhecimento e uma vida mais saudável e longa.

No entanto, já se pode confirmar com certeza que o fullerene bloqueia o desenvolvimento de vírus e combate a inflamação, além de ter um efeito destrutivo sobre as células cancerosas, danificando os seus aminoácidos. Também apoia o tratamento de lesões ortopédicas e, na opinião de alguns médicos, melhora as doenças inflamatórias crónicas – doença Crohn, esclerose múltipla, síndrome do intestino irritável e com fugas.

É de esperar que a capacidade do Fuleren C60 para suportar o stress oxidativo seja definitivamente confirmada e que o composto se torne amplamente disponível como um suplemento de saúde universalmente benéfico.

Conheça também: Óleo CBD

Category: saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Article by: admin